Não há soluções, há caminhos: 15 fevereiro

Parece-me cada vez mais urgente uma formação sobre o sentido profundamente humano da vocação de família – mais do que casar, de fundar uma família! Antigamente era mais fácil fazê-lo.

Há pessoas que casam porque querem fazer uma experiência de auto-satisfação e não com um sentido de missão, que é antes de mais nada social, missão de refrescar e dar futuro à vida humana, missão de fundar uma família. E há muitas pessoas que querem ter um filho para experimentar, porque lhes apetece, tipo brinquedo, e não como transmissão de vida.

Um filho é um dom ao casal e nunca um direito. Se se tem é para o fazer crescer, educar e enriquecer o mundo. A vocação dos pais não é ter, é con-criar.

Vasco P. Magalhães, sj

.